Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 19 de abril de 2018

O monstro do armario - 1986 Dublado

Depois de várias pessoas e um cão serem achados mortos em seus respectivos armários, uma repórter, seu filho e dois professores resolvem descobrir que mistério está por trás dessas mortes.

Clássico filme pra quem foi criança no inicio dos anos 90, final de 80, todos tinham medo de sair um monstro de dentro do guarda-roupas kkkkk


Como curiosidade, esse foi o primeiro filme do ainda jovem Paul Walker e da hoje cantora Fergie, que na época ainda devia ter uns 8 anos  e usava seu nome Stacy Fergson.

Filme com o selo de qualidade TROMA !

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Mestres do Horror # 3 - Boris Karloff

Ao interpretar, em 1931, a lendária criatura de Frankenstein, Boris Karloff consagrou-se como um imortal mito do cinema de horror. Esse ícone do horror marcou seu nome na história por suas marcantes interpretações nas décadas de 1920, 30 e 40.
Apesar de um pouco menos de um terço de seus 156 filmes (entre mudos e sonoros) serem de horror, Boris Karloff é considerado um personagem eterno do gênero.
Nasceu em 23 de novembro de 1887, no subúrbio londrino de Camberwell. Vindo de uma família de classe média, seu nome de batismo foi William Henry Pratt. Sua família era composta ainda por mais sete irmãos, uma irmã e seus pais morreram ainda na sua infância.
Em maio de 1909 ele foi para o Canadá tentar a carreira de ator. Nessa época criou seu nome artístico e tão conhecido pelo público. Segundo ele, o nome Karloff veio dos ancestrais russos pelo lado de sua mãe e Boris foi escolhido ao acaso.


Trabalhou em teatro e rádio até que finalmente em 1919 fez seu primeiro filme, então com 32 anos de idade, "His Majesty, the American" (United Artists), um filme mudo dirigido por Joseph Henabery, onde Karloff aparece apenas como um figurante em uma história de aventura.
A partir daí ele apareceu em outros 48 filmes mudos e 15 sonoros, até consagrar-se em 1931 atuando como o monstro do cientista louco Frankenstein, uma criatura formada a partir de restos de cadáveres humanos, no clássico dirigido por James Whale, "Frankenstein". Esse filme, que inicialmente seria dirigido por Robert Florey e estrelado por Bela Lugosi (que acabava de atuar em "Drácula"), foi mudado na última hora e chamaram Karloff para o papel do monstro e Florey e Lugosi acabaram fazendo "The Murders in the Rue Morgue", baseado em Edgar Allan Poe.


Contando com a ajuda importante do maquiador da Universal, Jack Pierce, a criatura de Frankenstein tornou-se assustadora e fascinou o público. O filme foi um grande sucesso de bilheteria e arrecadou cerca de 12 milhões de dólares, superando em muito a modesta produção de 250 mil dólares.
Nos anos seguintes Karloff foi muito requisitado, principalmente pela Universal, e estrelou diversos outros clássicos como "The Old Dark House" (1932), onde interpretou um mordomo mudo e assassino de um casarão gótico, "A Múmia" (1933), personificando uma múmia egípcia
de 3700 anos que revive na Inglaterra, e no mesmo ano atuou em "The Ghoul", primeiro trabalho com produção inglesa, interpretando um professor que morre e retorna à vida como um zumbi. Foi só em 1935 que Karloff voltou ao papel do monstro em "A Noiva de Frankenstein", outro sucesso superando até o original de 1931, fechando a trilogia em 1939 com "O Filho de Frankenstein", e nunca mais atuando como a famosa criatura que o imortalizou.


Já bastante idoso, o estado de saúde de Karloff declina fortemente, com graves problemas respiratórios que o levaram à morte em 2 de fevereiro de 1969, na Inglaterra, aos 81 anos de idade. Mesmo após a sua morte, vários filmes foram lançados em 1970-71 e que ele havia rodado em 1967-68. "A Maldição do Artar Escarlate" (The Crimson Cult, 1970) com Christopher Lee e história baseada em H. P. Lovecraft, e "Cauldron of Blood" (1971) foram filmados com Karloff preso a uma cadeira de rodas, devido ao precário estado de saúde.


E em 1971 foram lançados quatro filmes com produção mexicana, onde Karloff filmou sua participação nos Estados Unidos com as cenas sendo montadas posteriormente no México. Dessa série de filmes, que tornaram-se grande raridade e cultuados, destaca-se "Serenata Macabra" (House of Evil) onde interpretou um velho milionário que convoca seus parentes para a divulgação de seu testamento. O último trabalho da carreira de Karloff foi na série de TV "The Name of the Game" com o episódio "The White Birch" em 29 de novembro de 1968.

No total foram 156 filmes de vários gêneros ao longo de 50 anos de carreira, além de aproximadamente 90 aparições em 75 programas de televisão diferentes, entre shows e séries. Toda essa vasta filmografia e suas interpretações marcantes que fizeram a história do cinema fantástico ao longo desse século, manterão sempre viva sua imagem de eterno imortal do horror.

FILMOGRAFIA - Terror


Frankenstein (Frankenstein, 1931)
The Old Dark House (1932)
A Múmia (The Mummy, 1932)
The Ghoul (1933)
O Gato Preto (The Black Cat , 1934)
A Noiva de Frankenstein (The Bride of Frankenstein, 1935)
The Black Room (1935)
The Raven, 1935)
O Raio Invisível (The Invisible Ray, 1936)
The Walking Dead (1936)
The Man Who Lived Again (1936)
O Filho de Frankenstein Son of Frankenstein, 1939)
The Man They Could Not Hang (1939)
Before I Hang (1940)
The Man With Nine Lives (1940)
The Devil Commands (1940)
The Boogie Man Will Get You (1942)
House of Frankenstein (1944)
O Túmulo Vazio (The Bodysnatcher, 1945)
Isle of the Dead (1945)
Bedlam (1946)
Monster of the Island (1953)
O Castelo de Frankenstein (Frankenstein 1970, 1958)
O Corvo (The Raven, 1963)
Sombras do Terror (The Terror, 1963)
Farsa Trágica (The Comedy of Terrors, 1963)
Black Sabbath (1964)
Morte Para Um Monstro (Die, Monster, Die!, 1965)
Na Mira da Morte (Targets, 1968)
A Maldição do Altar Escarlate (The Crimson Cult, 1970)
The Snake People (1971)
Invasão Sinistra (The Incredible Invasion, 1971)
A Câmara do Terror (The Fear Chamber, 1971)
Serenata Macabra (House of Evil, 1971)


segunda-feira, 2 de abril de 2018

Fist of Jesus - 2012 -Espanha

Um excelente curta espanhol que coloca Jesus para combater uma horda de mortos-vivos. 

A pérola gore foi dirigida por David Muñoz e Adrían Cardona que disponibilizaram o vídeo no Youtube como parte de uma campanha de crowdfunding para financiar um longa – batizado provisoriamente de Once Upon a Time in Jerusalem.

A obra, assumidamente trash, parte da premissa que o primeiro zumbi da história teria sido Lázaro, resultado de uma tentativa de ressurreição mal realizada. 
Ao lado de Judas, seu “fiel” escudeiro, Jesus testemunha Lázaro atacar familiares e até soldados romanos, transformando-os em mortos-vivos. 


Veja o site Oficial do curta !!!

segunda-feira, 26 de março de 2018

A visão do Terror - 1986 Legendado

No planeta Plutão, animais de estimação mutantes que se tornaram perigosos, são descartados, transformados em energia pura, pela estação de tratamento de lixo e enviados aos confins do espaço sideral, mas, por um erro de cálculo, um deles vem parar no planeta Terra, na casa de uma exótica, destrambelhada e moderninha família de classe média norte-americana que está tentando instalar um novíssimo sistema de antena parabólica. Porém, um defeito inesperado atrai o monstro alienígena, que salta da tela da TV para dentro da casa e começa a devorar tudo o que vê pela frente. 

Um filme muito esquisito, muito engraçado, sem o menor constrangimento de ser trash, O monstro é um bonecão feio e tosco e por isso mesmo é hilariante quando ele entra em cena; já as atuações são caricatas demais para serem levadas a sério.

Outro detalhe digno de nota é a decoração da casa dos Putterman, cheio de quadros indecentes com desenhos de mulheres seminuas em situações não muito convencionais.
Mal feito, exagerado, politicamente incorreto e divertido…são a síntese que classifica bem esse filme! Então se você gosta de bons filmes ruins coloque umas cervejas na geladeira, chame os amigos e divirta-se !!!
  (Obs - Ativar as legendas no player)

terça-feira, 20 de março de 2018

Castelinho da Rua Apa - São Paulo - Brasil

O castelinho começou a ser construído por arquitetos franceses em 1912 a pedido do Sr. Virgílio, e ficou pronto em 1917, como um presente do marido à esposa, Sra. Maria Cândida.

No dia 12/05/1937, três dos proprietários (Maria Cândida Guimarães dos Reis, Armando Guimarães dos Reis e Álvaro Guimarães dos Reis) foram encontrados mortos.

O crime, apesar de não ter sido totalmente solucionado foi dado como encerrado pela policia, cuja versão não convenceu os vizinhos da família Reis na época.


Segundo o inquérito, um dos irmãos atirou no outro e a mãe, desesperada, colocou-se entre os filhos, sendo baleada. Depois de se dar conta de seus atos, o assassino cometera suicídio.
O motivo segundo a polícia de São Paulo, Álvaro queria transformar o Cine Broadway da família em um ringue de patinação, ideia que foi contra a de seu irmão, Armando, que não via o negócio com bons olhos.
O caso foi encerrado, porém não foi solucionado porque a polícia foi incapaz de descobrir qual dos irmãos seria o assassino, afinal, como é possível um suicídio sem a arma do crime? Se foi um crime passional, porque ouve o segundo disparo que atingiu a mãe? São questões que até hoje estão sem respostas.

E mais, como uma pessoa consegue se suicidar com 2 tiros no peito ? cada um de uma arma diferente...

Desde então, ninguém conseguiu até hoje passar uma noite inteira no castelinho da Rua Apa. Aqueles que tentaram, relatam ter ouvido gemidos, correntes, visto aparições, vultos e até mesmo ouvido os disparos que causaram a morte das vítimas, que até hoje continuam supostamente vagando pelo local.

Em 2009, a equipe do programa GHOST HUNTERS INTERNATIONAL, do canal SyFy resolveu investigar o castelinho para quebrar o mito ou aprovar o local como oficialmente mal assombrado.
Um gravador que ficou ligado a noite toda conseguiu capturar um EVP “Eletronic Voice Phenomenon, que não foi escutado durante a gravação”.

No EVP gravado pela equipe foi possível ouvir uma voz aparentemente feminina que parecia dizer “Eduardo”.


Seria Eduardo o verdadeiro assassino? Se sim o que aconteceu com ele? Será que estas almas jamais terão descanso?


O comediante Ankito (considerado um dos cinco maiores nomes das chanchadas) morou no castelinho em 1944 e relatou que era comum à noite se ouvir pessoas andando nas escadas, as portas e janelas se abrirem e ao amanhecer encontrar as torneiras abertas, ainda assim sendo um apaixonado pelo local e dizendo não sentir medo diante de tais fenômenos. 

Logo após sua mudança, morou uma outra família no local por cerca de vinte anos, que também relatava a vizinhos o fato de escutarem passos e muitos barulhos, mas nada os impediu de continuar no castelinho.

Maria Lulina (Fundadora do Clube de Mães do Brasil) também relatou ter presenciado eventos sobrenaturais, como a presença de um rapaz dentro do castelinho, além de sentir que o lugar possui uma energia negativa, que inclusive impede que ela consiga interessados em restaurá-lo. Seria obra dos atormentados espíritos que insistem em permanecer no local?

José Mojica Marins filmou nas dependências do castelinho, e sofreu um princípio de acidente, o que levou os bombeiros a derrubarem todo o assoalho do andar superior da construção. Teria o temível Zé do Caixão sido vítima dos espíritos que ali se encontram?

Pessoas que, durante a madrugada, atravessam defronte ao local, relatam ouvir choros e sons como o de correntes sendo arrastadas, vindos do interior da construção. Verdade ou obra de uma imaginação fértil?


Há quem diga que o ato tresloucado de Álvaro tenha sido conseqüência de tormentos impostos por criaturas malignas que por ali permeiam, principalmente em virtude de a soma dos números 2, 3, e 6 ser 11, o número da magia e do sobrenatural da numerologia, além do que o castelinho fica numa bifurcação, elemento comum em rituais de magia negra.

Seriam todos esses fenômenos obra dos espíritos ali ainda encarcerados, em busca da solução para o crime que lhes arrancou a vida?


Mora em SP e quer conhecer o lugar ? tem coragem ? vamos agitar isso !  se ainda está pensando, assista ai o episódio de Ghost Hunters  no castelinho, está sem legendas, mas da pra entender numa boa !



segunda-feira, 19 de março de 2018

Isolados - 2014

Bom amigos...  hoje vou postar um filme nacional, adoro cinema nacional e aqui o nacional tem todo apoio sim ! 

Isolados é um filme interessante, dessa nova safra que está tentando fugir da mesmice que caiu por aqui, antes eram filmes de tiro, trafico e favela, agora essas comedias globais tipo zorra total ( Alias quase sempre com os mesmos atores )... agora estão tentando mudar a cara disso um pouco, temos bons atores, diretores e roteiristas, por que não investir em Suspense/Terror ... um mercado que cada dia mais se mostra crescente e favorável no Brasil ?

Mestres como Zé do Caixão e Ivan Cardoso ja deram a receita anos atras e até hoje são cultuado por fãs do estilo, hoje temos o genial Rodrigo Aragão e Peter Biestorff que ja batalham a um bom tempo mas só agora estão tendo um reconhecimento justo e vão aparecer muito mais... 

O que precisa acabar é esse preconceito, muita gente nem vê o filme e já solta " Ah é nacional é uma porcaria " calma gente, assistam, vejam o novo, abram a cabeça assistam, apoiem... só assim teremos um cinema nacional forte e deixaremos de engolir tanta porcaria que nos empurram todo dia.


Mas vamos ao Filme...

Lauro (Bruno Gagliasso) e Renata (Regiane Alves) decidem alugar uma casa na região serrana do Rio de Janeiro para descansar e reanimar a relação. 


O casarão é meio sombrio e Lauro escuta histórias sobre atos violentos na região, mas não conta nada para a mulher.

sexta-feira, 16 de março de 2018

Santissima Muerte - México

A cultura mexicana mantém desde a era pré-colombiana uma certa reverência em relação à morte, manifestada em celebrações como o Dia dos Mortos. Entre os elementos católicos da celebração está o uso de esqueletos para lembrar as pessoas de sua mortalidade.

Santa Muerte é uma figura sagrada venerada no México, provavelmente um sincretismo entre crenças católicas e mesoamericanas. 

A Santa Muerte geralmente aparece como uma figura esquelética, vestida com um longo manto e carregando um ou mais objetos, normalmente uma foice e um globo. O manto costuma ser branco, mas representações da figura variam significantemente de pessoa a pessoa de acordo com o pedido do devoto ou do ritual a ser apresentado. 

Como o culto a Santa Muerte era clandestino até recentemente, a maioria das preces e outros rituais eram feitos de forma privada, em casa. Entretanto, nos últimos dez anos, a veneração tornou-se mais pública, especialmente na Cidade do México

O culto é condenado pela Igreja Católica no país, mas está firmemente entranhado nas tradições das classes baixas e marginalizadas do México. O número de fiéis da Santa Muerte cresceu nos últimos vinte anos, chegando a aproximadamente dois milhões de seguidores, além de atravessar fronteiras, alcançando as comunidades mexicanas dos Estados Unidos.