Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Especial Evil Dead - parte 3 - Evil Dead 2 Uma noite Alucinante 1987

Evil Dead 2 é um caso raro no cinema. Como aponta Bill Warren no livro Evil Dead – Arquivos Mortos, a produção é uma sequência que não continua exatamente a histórica precedente, como uma espécie de “As Mil e Uma Noites” versão terror. Seis anos depois do sucesso de A Morte do Demônio, Sam Raimi e a sua equipe retornaram para um segundo filme, amparados, desta vez, pela produção da empresa de Dino De Laurentis, tornando os problemas financeiros da primeira parte uma memória distante.

No filme, Ash (Bruce Campbell) e a sua namorada Linda vão para a cabana escondida no interior de um bosque sombrio. Quando chegam ao local, descobrem o Livro dos Mortos, despertam forças malignas da floresta e um banho de sangue, vísceras e membros decepados demarcam mais uma imersão do espectador no universo macabro-cômico de Sam Raimi. Desta vez, um grupo de pessoas, incluindo um arqueólogo e a sua filha “quase” protagonista surgem para aumentar a contagem de corpos transformados em seres demoníacos.



Para os fãs inveterados do primeiro filme, esta continuação é um choque. O rumo dado pelo diretor é outro: há a violência gráfica do antecessor, mas a aposta nos pressupostos do humor ganha maior destaque. A fabulosa câmera que ziguezagueia o bosque, através do enquadramento subjetivo, um dos melhores detalhes técnicos do primeiro, está de volta neste, aliada ao excelente trabalho de som e ao ótimo apoio da iluminação, recursos mais sofisticados por conta do orçamento mais estruturado.
Sam Raimi flerta mais com o estilo fantástico desta vez. Trouxe alguns elementos visuais que nos remete ao gótico e referências literárias e cinematográficas. Há uma cena envolvendo uma mão decepada, relacionada a um plano detalhe numa edição do livro Adeus às Armas, de Hemingway
Com maior orçamento, Evil Dead 2 seguiu outro rumo, aproximando-se mais da ironia e da comédia e pode ser pensando como um rito de passagem para o terceiro filme, haja vista que tivemos o primeiro excessivamente violento, mesclado esta continuação também violenta, mas adornada com humor, desaguando no último episódio da trilogia, uma produção mais próxima da comédia e do fantástico, com contagem de corpos mais significativa, porém com uma dose menor de sangue e tripas, bem como qualidade narrativa e poder de convencimento junto ao público.
Indicado ao Saturn Awards na categoria de Melhor Filme de Terror em 1987, Evil Dead 2 é cheio de reencenações do filme anterior, mas não se engane: não é uma refilmagem, como afirmam muitos textos que circulam por ai. Ao longo dos seus 85 minutos, há uma série de situações absurdas, mas o que esperar de uma obra que está inserida em tantas categorias, entre elas, o horror e o fantástico ?, Monstros gigantes, árvores ameaçadoras, demônios bem caricatos e muitas cenas de pavor mescladas com momentos hilariantes.
Pra mim o mais legal da trilogia ! assistam e aguardem a próxima pate desse especial...